Escudo de Combate – A atuação dos profissionais de saúde na linha de frente de combate ao COVID-19

No momento que você inicia essa leitura, milhões de profissionais de saúde estão no campo de “batalha”, superando seus medos, angústias, distanciamento dos filhos, conjugues, pais e familiares, ausência, insuficiência e inadequação dos equipamentos para dar assistência a outras milhares de pessoas que estão infectadas pelo COVID-19 ou mesmo sofrendo por outras enfermidades.

Não tem sido fácil, os relatos dos profissionais de saúde, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentre outros, nos mais diversos meios de comunicação, demonstram as dificuldades que eles têm enfrentado e estão superando diariamente. Uma vez que tudo é muito novo em relação a esse vírus, o conhecimento vai sendo construído diariamente, os protocolos se ajustam, não há tratamento específico para os casos graves, não há leitos suficientes para todos e com o avanço da pandemia no Brasil, sinais de colapso já começam a surgir em alguns estados, como Ceará, Rio de Janeiro e São Paulo.

Números de Infectados

Não há dados oficiais do número de profissionais de saúde infectados no Brasil. Até o dia 17/04/2020, a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo informou que 3,8 mil funcionários da rede municipal foram afastados por coronavírus ou síndrome gripal, sendo que desses, 532 testaram positivo para COVID-19 e 11 mortes desde o início da pandemia.

No estado do Pernambuco, até o dia 17/04/2020, foram confirmados 774 casos de profissionais infectados pelo novo coronavírus, de toda rede de atendimento do estado, seja pública (estado e município) e privada, dados da Secretaria de Saúde do Estado. O número representa quase 39% do total de casos confirmados no estado (2.006 casos na data).

Manifestações de apoio

Desde o início da pandemia, assistimos nos noticiários e vídeos compartilhados por redes sociais, manifestação de apoio aos profissionais de saúde ao redor do mundo, desde salva de palmas nas sacadas da janela, sirene no Empire State em Nova York, ações de pessoas e empresas, e o nosso Cristo Redentor que no Dia Mundial da Saúde, foi vestido com um jaleco para homenageá-los.

Ações como essas são importantes, neste momento de exaustão física e mental destes profissionais. Surgem como um alento, uma força a mais para superar as adversidades, os riscos, o isolamento, o distanciamento da família, em muitos casos.

Entretanto, é importante que todos os demais agentes da sociedade continuem a fazer a sua parte. Órgãos e entidades munindo esses profissionais com equipamentos, tecnologia, segurança e condições de trabalho adequadas e toda a população seguindo as recomendações de distanciamento social, higiene e prevenção, tentando proteger a si mesmo, a sua família e amigos e reduzindo a margem de infecção e consequentemente de carga de casos no sistema de saúde.

O aplicativo e-Triagem, com suas funcionalidades de autoavaliação e monitoramento à distância de pacientes, vem com esse papel de colaborar com o sistema de saúde, sendo uma ferramenta, um escudo de combate, para todo o serviço de atendimento, em especial dos profissionais de saúde que são nossa linha de frente nessa guerra contra ao COVID-19.

Texto escrito por Eric Cunha em 19 de abril 2020.